Golpe antigo volta a fazer vítimas



09/08/2018


Talvez uns dos golpes mais conhecidos - o golpe em que alguém por telefone, oferece um dinheiro facil, mediante pagamento antecipado de alguma quantia que servirá para "liberar" o valor voltou com tudo, e em uma semana fez 4 vitimas entre associados da AGASAI. Todos tiveram prejuízos entre R$ 1.000,00 e R$ 5.000,00.

As ligações partiram de telefones celulares de Brasilia e Tocantins. O golpista se identifica informando que um processo, pecúlio ou valor administrativo está a disposição da vítima. Para legitimar sua fala ele sabe o nome e CPF de quem ele está falando, ele cita órgãos públicos e dá datas e até mesmo números de protocolos. O valor geralmente é alto, entre 50 a 100 mil reais, porém para liberar o dinheiro a vítima é intimada a depositar uma quantia em uma conta, que deve ser de um suposto laranja, a título de custas judiciais ou administrativas.

Qualquer telefonema com este teor deve ser imediatamente ignorado e comunicado à Polícia.

Lembre-se: nenhum órgão público ou vara judicial age dessa forma para liberar valores.

Na dúvida consulte a sua Associação ou órgão ao qual está vinculado.















Governo Temer ataca em larga escala o funcionalismo e população mais dependente dos serviços públicos. Coincidência?
Os funcionários públicos responsáveis pelo atendimento desta população vivem rotinas de incertezas, perdem poder aquisitivo ano a ano Leia mais

Cadastre seu e-mail para receber o boletim semanal de notícias da Associação



Inativos do serviço público pagam duas vezes para se aposentar
Desde a reforma previdenciária de 2003, aposentados que ganham acima do teto da previdência pagam, sobre o excedente, 11% contribuindo com o caixa do Governo para cobrir rombos de outras esferas públicas. Leia mais
Serviços
Você sabe quais serviços a AGASAI oferece aos seus associados? Conheça tudo que uma Ebtidade pode fazer para tornar a sua vida mais tranquila. Leia mais
Fim da impressão dos contracheques
Desde maio de 2015, o funcionalismo público federal não recebe mais seu contracheque no papel. Talvez seja a única classe trabalhadora que não tem mais seu comprovante de pagamento impresso. Leia mais
 
Siga a AGASAI no Twitter Curta a AGASAI no Facebook