Governo confirma: reajuste está congelado até a reforma da previdência.


08/03/2019

Declaração praticamente afasta possibilidade de reajuste ainda neste ano

Desde o ano passado a AGASAI vem alertando sobre a nova política econômica recessiva e contra o serviço público que vem sendo implantada no Brasil desde o Governo Dilma, se aprofundou no Governo Temer e terá seu clímax no Governo Bolsonaro que tem em Paulo Guedes, o super ministro, o representante máximo dos interesses do mercado dentro do Estado.

Desde 2015, ainda no Governo Dilma, o funcionalismo não recebe reajuste. Alias, ainda há carreiras que não receberam os valores acordados no último acordo feito entre Sindicatos e o Governo da época. Bolsonaro ainda na campanha, já dava sinais que sua relação com o funcionalismo não seria fácil. A AGASAI alertou. O candidato chamava o funcionalismo de setor privilegiado e dizia que as gratificações iriam acabar veja aqui.

Agora, confirmando todas as especulações que neste ano o funcionalismo continuaria sem reajuste Wagner Lenhart, Secretário de Gestão e Desempenho de Pessoal, informou que os reajustes para o funcionalismo, e também os concursos, estão congelados até a reforma da previdência. Ou seja: enquanto a Reforma estiver tramitando no Congresso não há chances nem sequer de o governo sentar com o funcionalismo para discutir.

Rodrigo Maia, Presidente da Câmara, já adiantou que a Reforma poderá ser votada no Senado (última etapa) no final deste ano. Deduz-se que se as palavras do Secretário forem cumpridas talvez o Governo receba o funcionalismo no inicio do ano que vem para discutir a hipótese de reajuste para 2021.

As trapalhadas do Presidente nas redes sociais talvez abreviem esse prazo, desmantelando sua base que a cada dia se desgasta mais tentando justificar os atropelos verbais e de postura do Presidente, mas até lá o caminho é longo e só a união e pressão dos servidores nos deputados e senadores poderia atenuar o arrocho salarial dos servidores.

Associações e Sindicatos têm papel fundamental neste momento, mas para isso precisam continuar fortes e, principalmente, com representatividade.











Governo Temer ataca em larga escala o funcionalismo e população mais dependente dos serviços públicos. Coincidência?
Os funcionários públicos responsáveis pelo atendimento desta população vivem rotinas de incertezas, perdem poder aquisitivo ano a ano Leia mais

Cadastre seu e-mail para receber o boletim semanal de notícias da Associação



Inativos do serviço público pagam duas vezes para se aposentar
Desde a reforma previdenciária de 2003, aposentados que ganham acima do teto da previdência pagam, sobre o excedente, 11% contribuindo com o caixa do Governo para cobrir rombos de outras esferas públicas. Leia mais
Serviços
Você sabe quais serviços a AGASAI oferece aos seus associados? Conheça tudo que uma Ebtidade pode fazer para tornar a sua vida mais tranquila. Leia mais
Fim da impressão dos contracheques
Desde maio de 2015, o funcionalismo público federal não recebe mais seu contracheque no papel. Talvez seja a única classe trabalhadora que não tem mais seu comprovante de pagamento impresso. Leia mais
 
Siga a AGASAI no Twitter Curta a AGASAI no Facebook