Governo recebe servidores e diz que não há previsão de reajustes



06/03/2018


O primeiro encontro ocorrido na sexta-feira, dia 02, entre as entidades do funcionalismo e o Ministério do Planejamento, não trouxe nenhuma novidade positiva, pelo contrário, de acordo com a fala do Secretário do Planejamento, Augusto Chiba, a tendencia é a precarização do serviço público e o endurecimento do Governo às pautas dos servidores.

Sobre novos conursos o Secretário informou que somente 20% das vagas solicitadas poderão ser atendidas. Quanto à política salarial, frente às consecutivas perdas inflacionárias, o representante do Executivo acenou negativamente a qualquer pleito do funcionalismo. Além da ausência de providências que atenuem o desmanche dos serviços público em curso, a falta de cumprimento de parte dos acordos firmados com a classe também foi jogada na conta do momento fiscal pelo qual passa o país. Servidores da Seguridade Social que sequer tinham acordos firmados para 2018, também correm o risco de ficar sem reposição inflacionária esse ano.

Em resumo o quadro é bastante grave. A estrutura de negociação montada nos últimos 10 anos entre as Entidades e o Governo Federal foi literalmente desmontada neste Governo Temer. As perspectivas até o final do ano são desanimadoras. O congelamento dos gastos públicos por 20 anos também freia qualquer tentativa de recuperação de perdas. Enfim o funcionalismo está hoje frente a uma de suas piores crises.

Apesar disso tudo, sem dúvida o ano de 2018 apresenta uma série de desafios, que só serão superados sob forte mobilização. Mais do que nunca temos que fortalecer Entidades e Sindicatos, não é sem motivos que este Governo concentra todas as suas forças para derrubar a representatividade de classe.

 













Governo Temer ataca em larga escala o funcionalismo e população mais dependente dos serviços públicos. Coincidência?
Os funcionários públicos responsáveis pelo atendimento desta população vivem rotinas de incertezas, perdem poder aquisitivo ano a ano Leia mais

Cadastre seu e-mail para receber o boletim semanal de notícias da Associação



Inativos do serviço público pagam duas vezes para se aposentar
Desde a reforma previdenciária de 2003, aposentados que ganham acima do teto da previdência pagam, sobre o excedente, 11% contribuindo com o caixa do Governo para cobrir rombos de outras esferas públicas. Leia mais
Serviços
Você sabe quais serviços a AGASAI oferece aos seus associados? Conheça tudo que uma Ebtidade pode fazer para tornar a sua vida mais tranquila. Leia mais
Fim da impressão dos contracheques
Desde maio de 2015, o funcionalismo público federal não recebe mais seu contracheque no papel. Talvez seja a única classe trabalhadora que não tem mais seu comprovante de pagamento impresso. Leia mais
 
Siga a AGASAI no Twitter Curta a AGASAI no Facebook